Jambo, uma fruta repleta de benefícios à saúde

O jambeiro é uma fruta tropical, nativa da Índia e Malásia, cultivada no Sudeste Asiático e nas regiões tropicais da América e África. Pertence ao gênero Syzygium e à família Myrtaceae, que inclui também a goiaba, a pitanga, o jamelão, a jabuticaba, cambuci, uvaia, jambolão. Chamado de jambo-rosa, ou jambo-vermelho, é o fruto de uma espécie de Jambeiro, Syzygium jambos ou S. malaccense (red jambo ou Malay apple). A colheita dos frutos ocorre de janeiro a maio.

Jambo na cultura popular …

O uso de jambo na medicina popular indiana é muito antigo. O fruto era utilizado como tônico para o cérebro e fígado, e como diurético. As flores acreditava-se baixar a febre, e as sementes, usadas para tratamento da diarreia e catarata. Na cultura sul-americana, as sementes eram usadas como anestésico, e estudos demonstraram que as sementes tiverem este efeito, similar à morfina em ratos.  A decocção das folhas também é tradicionalmente utilizada para tratamento do diabetes, diurético, para dores articulares, e expectorante. A casca do jambeiro, era usada para afecções respiratórias como a asma. Curandeiros cubanos a usavam para tratar epilepsia. E o extrato das folhas usado como anti-viral, no tratamento de Herpes tipo 1 e 2.

O estresse oxidativo, um desequilíbrio entre as defesas antioxidantes biológicas ou dietéticas e a produção de radicais livres pelas céluas, induz ao desenvolvimento de diversas doenças, dentre elas, em especial, o câncer. Uma vez que o estresse oxidativo causa mutações, interfere na apoptose, que cortaria o ciclo de proliferação das células cancerígenas, os antioxidantes exercem um papel fundamental.

A estrutura de polissacarídeos do jambeiro estimula respostas fisiológicas e consequentes benefícios à saúde, por modular o microbioma intestinal, realizando efeitos imunológicos, antitumorais, antioxidantes, e hipoglicêmicos, dentre outros.

Presença de muitos nutrientes…

Alto teor de:
  • Antocianinas à igual ao açaí (300mg/100g na casca)
  • Vitamina C (casca) à Igual ao caju 300mg/100g
  • Fibras à 5,1g /100g (cerca de 22% da IDR – polpa)
  • Vitamina B1, B2, cálcio e fósforo
  • ácido gálico, ácido clorogênico, ácido caféico, rutina, quercetina, e kaempferol (extrato das folhas)
  • A polpa da fruta é rica em carboidratos e fibras.
Jambo rosa

Benefícios

  • Anti-diabético

No extrato aquoso das folhas de jambo, pesquisadores Porto Riquenhos, revelaram em estudo para a BMC de 2015, a capacidade de modular a longo prazo a glicemia.

  • Antiinflamatório e antioxidante

O extrato das folhas revelou conter: ácido gálico, ácido clorogênico, ácido caféico, rutina, quercetina, e kaempferol, potentes inibidores de radiciais livres e efeitos antioxidantes contra espécies reativas de oxigênio. Reduz as interleucinas pró-inflamatórias TNF-α, IL-1β and IL-10. A casca do jambo concentra grande parte dos compostos bioativos da fruta, como antocianinas, com capacidade antioxidante. Dos 3 tipos de antocianinas encontradas no jambo, a cyanidina3-glicosida, tem seu maior potencial anti-inflamatório.

  • Anticancerígeno

Plantas da família Syzygium são complementos aos tratamentos convencionais devido à abundância de compostos fenólicos, ácidos oleanólicos, betulínicos, cardamoninas, com efeitos anticancerígenos (inibindo a proliferação celular e induzindo a apoptose).

Pesquisadores da Universidade de Campinas, em manuscrito publicado em 2018, identificaram efeitos anti-tumorais contra células hepáticas HepG2 no extrato etanólico da casca, que provou não proliferar células cancerígenas.

  • Antibactericida

Efeitos no tratamento da acne, pela redução das bactérias e inflamação. Em estudo realizado com o extrato das folhas, houve redução de crescimento de bactérias gram-positivas e negativas como Afaecalis and AHydrophilia, e em maior significância do Bcereus e SAureus.

  • Antiulcerativo

Descrita atividade anti-inflamatória como coadjuvante no tratamento de úlceras, em 2009, a atividade antioxidante atribuída aos flavonoides e taninos, uma vez que os radicais livres representam um fator importante na formação de lesões ulcerativas e erosivas do trato gastrintestinal.

  • Antinociceptivo

Diminuição da sinalização neuronal da dor cutânea e muscular, onde não há receptores opióideos.

  • Hepatoprotetor

Pesquisadores do ministério da saúde de Kerala, Índia em 2013, verificaram a regeneração das células hepáticas e a melhor resistência à toxinas no fígado com o extrato das folhas de jambo.

  • Propriedades imunomodulatórias

Por intermédio da atuação dos arabinogalactanos, um polissacarídeo extraído da casca e das fibras da fruta de jambo, nos macrófagos, aumentando a secreção do TNF-α, IL-1β and IL-10 atenuando a resposta inflamatória. Na concentração de 100 μg/mL testado (IJBM, 2017).

Partes a serem consumidas: a fruta, as folhas como fitoterápico em extratos hidra-alcóolicos e as cascas da fruta.

  1. Fruta: fresca, madura, sem semente, e bem higienizada por fora e em solução de hipoclorito se consumida crua ou em sucos.
  2. Casca da fruta: em massas de bolos, pães, etc. ou secas como farinha.
  3. Folhas em decocção: chás, extratos.

Farinha da casca, como fazer:

A fim de garantir fatias bem finas, use o cortador de legumes ou o processador para fatiar.

Após todas as frutas cortadas, secar em pano limpo, colocando em assadeira forrada com papel manteiga. Levar ao forno baixo, revirando as fatias a cada 30 minutos. Quando formar uma casca seca estarão prontos. Deixe a forma no forno até esfriar. Guarde as fatias em recipiente fechado ou em sacos plástico ou bata no liquificador para obter uma farinha.

Opções de consumo:

  • fruta fresca: em saladas, em molhos, sucos, vitaminas. Usar de preferência com casca para aproveitar os antioxidantes.
  • Cascas: panquecas, bolos, muffins, pães, biscoitos, massas frescas.

As folhas são amplamente usadas cultura popular, pelas propriedades antiinflamatórias, digestivas, diuréticas, para tratar diarréia, reumatismo e para o tratamento do diabetes.

Todos os benefícios obtidos por meio do extrato das folhas podem ocorrer em menor potencial e concentração, nos chás das folhas.

O extrato hidroalcoólico das folhas foi estudado por Lee Chua (Springer Nature, 2018), como antidiabético, anti-inflamatório e antioxidante, anti-ulcerativo, hepatoprotetor, anti-bactericida.

Deixe uma resposta